MÁRIO SAA E O METROPOLISMO GALAICO-PORTUGUÊS

Exposição comemorativa do 120º aniversário de nascimento de Mário Saa

A Fundação Arquivo Paes Teles (FAPT) inaugura no dia 18 de Junho de 2013 a exposição Mário Saa e o Metropolismo Galaico-Português, uma mostra documental comemorativa do seu 120º aniversário de nascimento, que decorrerá pelas 18 horas, na sede desta instituição no Ervedal. Esta iniciativa museológica pretende divulgar um aspecto menos conhecido do percurso do instituidor da FAPT, um movimento associativo intelectual que evidencia o interesse transnacional deste importante arquivo local.

No âmbito da comemoração do 120.º aniversário de nascimento de Mário Saa decorrerão durante o presente ano um conjunto de iniciativas que divulgaremos em devido tempo.

    Mário Saa e o Metropolismo Galaico-Português  
           

 

   

COLÓQUIO

Mário Saa: Poeta e Pensador da Razão Matemática
Nos 40 anos da sua morte

20 Jan. 2012 - Univ. Católica Portuguesa (Anfiteatro 2)
21 Jan. 2012 – Fundação Arquivo Paes Teles, Ervedal (Avis)

A Fundação Arquivo Paes Teles (FAPT) associou-se ao Centro de Estudos de Filosofia (CEFi) da Universidade Católica Portuguesa na organização do colóquio «Mário Saa: Poeta e Pensador da Razão Matemática – nos 40 anos da sua morte».
Esta parceria reflete os objectivos assumidos pelo Conselho de Administração da FAPT no sentido de valorizar o legado do seu instituidor através da promoção da investigação sobre as várias facetas do seu percurso. Este trabalho tem vindo a ser realizado com o apoio do Município de Avis, da Universidade de Évora, da Direcção Regional da Cultura do Alentejo e mais recentemente do Centro de Estudos de História e Filosofia da Ciência (CEHFCi - U. Évora) e da Fundação Calouste Gulbenkian. Estas instituições e as várias personalidades envolvidas têm apoiado e contribuído para a valorização dos vários acervos da fundação e a sua progressiva disponibilização aos investigadores. Um trabalho moroso mas fundamental para alicerçar o aprofundamento do conhecimento sobre este intelectual português do século XX. Nesta sequência temos vindo a promover exposições, palestras, encontros com investigadores, a apoiar a publicação de novos estudos e a implementar uma linha editorial que visa promover uma crescente investigação sobre as várias facetas intelectuais de Mário Saa.
A proposta do CEFi vem assim de encontro à linha de acção da Fundação Arquivo Paes Teles que com agrado se associou a mais uma oportunidade de projectar o poeta e investigador que sediou no Ervedal uma instituição que tem a missão de preservar as suas memórias e projectar o seu nome e o seu percurso intelectual.

Mário Saa: Poeta e Pensador da Razão Matemática
Nos 40 anos da sua morte

PROGRAMA

Dia 20– Universidade Católica Portuguesa (Lisboa) - Anfiteatro 2

09:00 – Recepção dos participantes
09:30 – Abertura do Colóquio / Autoridades
10:15 – Nuno Júdice (conferência de abertura): «A Razão do Poema em Mário Saa»

10:45 – Coffee break

11:00 – João Rui de Sousa, «Da Athena à Presença - Um Decénio Fulcral na Obra Literária de Mário Saa» 11:30 – André Carneiro, «Leite de Vasconcelos e Mário Saa: Notas para uma influência tutelar» 12:00 – Elisabete Pereira e Filipe Themudo Barata, «Metropolitismo Galaico-Português: Memórias de um movimento associativo intelectual na Fundação Arquivo Paes Teles (Ervedal)»

12:45/13:45 – Almoço

14:00 – Joaquim Domingues, «Mário Saa, hermeneuta da História de Portugal» 14:30 – Américo Enes Monteiro, «Mário Saa, leitor atento da obra de Nietzsche 15:00 – José Carlos Pereira, «Ideias Estéticas de Mário Saa» 15:30 – Pinharanda Gomes, «As Memórias Astrológicas de Camões: Uma leitura aligeirada»

16:00 – Coffee break

16:15 – António Braz Teixeira, «Elementos para uma introdução ao pensamento de Mário Saa» 17:15 – Renato Epifânio, «Entre Mário Saa e José Marinho: O pensar aforístico e o dizer poético» 17:45 – Manuel Cândido Pimentel, «Infinito e Infinitismo em Mário Saa» 18:30 – Encerramento do Colóquio (em Lisboa)

Dia 21 – Fundação Arquivo Paes Teles – Ervedal (Avis)

15:00 – Manuel Ferreira Patrício (conferência de abertura): «A presença de Nietzsche na mundividência filosófica de Mário Saa» 16:00 – Filipe Themudo Barata, «Percursos pessoais e trilhos institucionais»
    Varela Pe Curto  
             
             
   

Eduardo Varela Pècurto: degraus da sua profissão

Exposição de fotografia

Eduardo Francisco Varela Pècurto nasceu em 27 de Abril de 1925, no Ervedal. Daqui saiu ainda em criança estabelecendo-se com a família em Évora, onde estudaria até ao sexto ano do liceu. Nesta cidade deu os primeiros passos na arte da fotografia com o mestre David de Freitas, na casa Fotografia Nazareth, passando mais tarde a trabalhar na Foto Nogueira, onde aprofundou os seus conhecimentos com Eduardo Nogueira.

Foi em Évora que tomou contacto com o «Grupo Câmara», ao qual se associou. Através desse Grupo de Amadores de Fotografia e Cinema concorreu a uma exposição organizada em Coimbra. A obtenção do primeiro prémio, que mereceu uma elogiosa referência do júri, contribuiu para que o seu trabalho fosse reconhecido naquela cidade e, em 1950, lhe fosse confiada a direcção da secção fotográfica da Livraria Editora Atlântida. Daqui passou para a firma Ilda & C.ª L.da, da qual foi sócio gerente durante 50 anos, exercendo paralelamente, durante duas décadas, o cargo de operador correspondente da RTP no centro do país. Foi na cidade do Mondego que se cimentou a sua ascensão no mundo da fotografia. Em 1949 começou a concorrer a salões internacionais de arte fotográfica, estreando-se nesse ano em Lisboa e em Innsbruck, na Áustria. As suas fotografias foram depois sendo expostas um pouco por todo o mundo, nomeadamente em Espanha, França, Itália, Bélgica, Alemanha, Inglaterra, País de Gales, Dinamarca, Jugoslávia, União Soviética, Marrocos, Angola, África do Sul, e também na Índia, China, Brasil, Chile e Cuba. O reconhecimento do seu trabalho reflecte-se nas cerca de 50 medalhas de ouro, prata e bronze, e numa centena de menções honrosas que guarda em sua casa. Em 1954, no congresso da Fédération International de L'Art Photographique, obteve a distinção de “Excelente”. Foi-lhe outorgada a medalha de Mérito Cultural da Câmara Municipal de Coimbra e o Diploma de Honra do Clube da Comunicação Social da mesma cidade. Tem votos de louvor em actas de sessões das Câmaras Municipais de Miranda do Corvo, de Penacova e Évora.

Foi autor de vários livros («Penacova», «Ervedal – Alto Alentejo» e «Lousã») e é colaborador de diversas publicações periódicas. Prepara actualmente um livro sobre o concelho de Cantanhede. Criou colecções de postais em Coimbra, Porto, Figueira da Foz, Fátima, Évora e Convento do Louriçal. Ficou ligado à Filatelia Portuguesa quando os Correios Portugueses editaram um selo comemorativo que tem por base uma fotografia de sua autoria. Está representado no Museu Nacional Ferroviário, no Entroncamento, e no Museu de Arte Contemporânea, no Chiado, em Lisboa. A Fundação Arquivo Paes Teles tem a honra de divulgar nesta exposição um conjunto de 48 fotografias que reflectem este seu consagrado percurso. São imagens que registam cenas da vida quotidiana, detalhes de ambientes específicos, retratos, mas também crianças, animais, paisagens e monumentos. Nelas repercutem-se a qualidade técnica, a sensibilidade, a motivação e a expressão artística de Eduardo Francisco Varela Pècurto.
    Varela Pe Curto  
             
             
             
   

Sessão Comemorativa do aniversário de Nascimento de Mário Saa

18 Junho de 2011 | 15 horas

No âmbito da comemoração do aniversário de nascimento de Mário Saa, a Fundação Arquivo Paes Teles irá inaugurar uma exposição de fotografia e promover um conjunto de palestras sobre o seu percurso e o seu legado. A sessão decorrerá na sede da Fundação, no Ervedal, no próximo dia 18 de Junho de 2011. Esta iniciativa conta com o apoio da Junta de Freguesia do Ervedal e do Município de Avis.

15h|
Inauguração de exposição
Eduardo Varela Pècurto: degraus da sua profissão.

16h|
Palestras:

Os senhores e os seus rendeiros: patrimónios e poder local (Avis, 1778-1993)
Maria Antónia de Figueiredo Pires de Almeida - Universidade Nova de Lisboa

Animalística no Conventus Pacensis: Alguns testemunhos bronzíneos
A. Nunes Pinto - Universidade de Coimbra

Os miliários como fontes históricas e arqueológicas
Vasco Mantas - Universidade de Coimbra

Mário Saa: itinerários culturais de um intelectual português do Século XX
Elisabete Pereira – Fundação Arquivo Paes Teles

    comemoração Aniv 2011  
             
             
             
   

«Momentos Perfeitos» e «Rasgos de Luz»

Silvia Cerico
Lançamento dos livros

22 de Maio de 2011

Em colaboração com o Município de Avis e com a Junta de Freguesia do Ervedal, a FAPT apoia o lançamento dos livros «Momentos Perfeitos» e «Rasgos de Luz», da autoria de Sílvia Cerico. Esta jovem autora natural de Avis, lança no dia 22 de Maio, na sede da Fundação Paes Teles, pelas 16h00, o seu terceiro e quarto livros, resultado de mais um prémio obtido junto da editora World Art Friends. Esta sessão contará também com a presença de Telma Silva, autora dos prefácios, que fará uma apresentação desta promissora escritora avisense, e do vereador da Cultura do Município de Avis. No final da sessão decorrerá uma animação e leitura de poemas pelo grupo de teatro «A Fantasia».
    livros silvia cerico  
             
             
             
   

Referências

Exposição de desenhos

De 10 de Abril a 31 de Maio de 2011

A Fundação Arquivo Paes Teles apresenta, a partir de dia 10 de Abril de 2011, uma exposição de desenhos a tinta-da-china e carvão de autoria de Clara Guerra. Esta estudante de arquitectura, residente no Ervedal, mostra-nos alguns recantos que para si constituem «referências» da vila do Ervedal e de outros locais por onde passou.

A inauguração teve lugar no dia 10 de Abril, pelas 16.30h, e marcou o arranque de mais uma iniciativa cultural da Fundação Arquivo Paes Teles com o apoio da Câmara Municipal de Avis e da Junta de Freguesia do Ervedal. A mostra está patente até ao dia 31 de Maio, de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 12h00, e das 15h00 às 19h00. A entrada é, como sempre, gratuita.
    referências  
             
             
   

       
    Viagem ao tempo da escrita de Mário Saa

Actividade para alunos do 3.º e 4.º anos do 1.º ciclo

Serviço Educativo

Esta actividade pretende destacar a extraordinária importância da comunicação escrita no tempo de Mário Saa, ao mesmo tempo que divulgamos o seu percurso e a instituição que criou no Ervedal, particularmente o seu arquivo onde se encontram milhares de cartas que recebeu ao longo da vida. Entre convites para eventos culturais, cartas de funcionários das suas explorações agrícolas, de instituições bancárias, publicidade diversa, missivas de gráficas e editoras, das revistas culturais da época e as cartas dos seus familiares e amigos, trocou correspondência com centenas de intelectuais do seu tempo, nomeadamente com Fernando Pessoa, Leite Vasconcelos, Almada Negreiros, António Ferro, José Régio e Aquilino Ribeiro. Foram mais de 8000 as cartas que Mário Saa recebeu e conservou.

Divulgando este valioso património cultural local queremos dar a conhecer aos mais jovens uma prática centenária que actualmente se vê substituída pelo constante uso do telemóvel, das SMS`s e da Internet. Depois de uma visita orientada à fundação, em que introduzimos os objectivos da actividade, as crianças são convidadas a escrever uma carta a um familiar ou amigo utilizando as antigas canetas de aparo, os mata-borrões, as antigas folhas de carta, os envelopes e os selos.


Objectivos:

Divulgação da instituição deixada por Mário Saa;
Sensibilizar e dar a conhecer a história local;
Salvaguardar e preservar as memórias de cultura local;
Promover o contacto com os materiais de escrita da primeira metade do século XX;
Divulgação de uma prática centenária que hoje se encontra substituída pelos modernos meios de comunicação (SMS, mail, telemóvel);
Destacar a extraordinária importância da comunicação escrita no tempo de Mário Saa;
Criar novas experiências em torno da escrita;
Oferecer momentos de lazer, incentivando o gosto pela escrita e pela história;
Desenvolver e estimular a imaginação, a criatividade e a cultura em geral;
Proporcionar e fornecer meios para o desenvolvimento cultural possibilitando a auto-aprendizagem e estimulando a curiosidade;


Conteúdos curriculares:

Língua Portuguesa
História de Portugal

     
             
             
             
   

Redes Intelectuais e Científico-Filosóficas Dedicatórias da Biblioteca de Mário Saa

Exposição

De 26 de Fevereiro a 30 de Novembro de 2011

No próximo sábado, dia 26 de Fevereiro, vai ser inaugurada, na sala de recepção da Fundação Arquivo Paes Teles, um exposição bibliográfica que divulgará os círculos intelectuais e científico-filosóficos patentes nas dedicatórias dos livros de Mário Saa. Esta exposição irá estender-se até ao final do mês de Novembro de 2011, divulgando a cada dois meses os livros onde foram registadas práticas sociais e culturais e os círculos literários e ideológicos de consagração de um intelectual português do século XX.

Primeiras sociabilidades intelectuais: Fevereiro e Março
Intelectuais Modernistas: Abril e Maio
Intelectuais da direita conservadora: Junho e Julho
Outros círculos científico-filosóficos: Agosto e Setembro
Ideólogos de esquerda: Outubro e Novembro

Esta interessante mostra documental poderá também ser visualizada através de uma exposição online realizada por Tiago Lageira, no âmbito de um estágio de Formação em Contexto de Trabalho da escola profissional EPRAL de Estremoz.

Ver exposição on line: www.paesteles.com/expodedicatorias
    ExpoDedicatórias  
             
             
             
   

Pontos de Vista

Exposição

De 1 a 30 de Julho de 2010

Locais, pessoas e situações de um quotidiano dividido entre o Alentejo e Lisboa. Estes são os temas da exposição de fotografia a preto e branco que Ricardo Calhau apresenta na Fundação Arquivo Paes Teles de 22 de Setembro a 29 de Outubro de 2010. Natural do concelho de Avis, este jovem fotógrafo nasceu em 1986 e completou várias formações no âmbito das novas tecnologias da informação e comunicação. Os seus trabalhos foram diversas vezes premiados, tendo a sua mais recente distinção no concurso «Tão diferentes e tão próximos – Diálogos de civilizações», promovido pelo Instituto Português da Juventude em 2009.
    Pontos de vista - Ricardo Calhau  
             
             
             
   

Lançamento do livro «Memórias Alentejanas do Século XX»

De Maria Antónia Pires de Almeida

25 de Setembro de 2010
18 horas

A Fundação Arquivo Paes Teles promove no próximo dia 25 de Setembro, pelas 18 horas, a apresentação da mais recente publicação da Doutora Maria Antónia Pires de Almeida, investigadora da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa.

Doutorada em História Moderna e Contemporânea e pós-doutorada em Ciência Política, a autora, natural do concelho de Avis, reúne neste livro um conjunto de histórias de vida sobre uma geração que viveu o regime do Estado Novo em meio rural e participou no processo da Reforma Agrária.

Resultando de um conjunto de entrevistas realizadas a pessoas de várias classes sociais sobre as vivências rurais dos anos 40 e 50, e o período revolucionário português dos anos 70 do século passado, a autora considera que «este trabalho pode trazer para as novas gerações de leitores um mundo totalmente desconhecido» mostrando a vida quotidiana anterior ao actual regime democrático.

A apresentação deste importante trabalho, que preservá as histórias de vida de uma geração em vias de desaparecimento, estará a cargo do Prof. José Ramiro, com a presença da autora, e decorrerá no próximo dia 25 de Setembro de 2010, pelas 18 horas, na sede da Fundação Arquivo Paes Teles.
    Memórias alentejanas do séc. XX  
             
             
             
   

Quem fez a República

Exposição

De 1 a 30 de Julho de 2010

Associando-se às comemorações do centenário da República em Portugal, a Fundação Arquivo Paes Teles, Ervedal (Avis), apresenta durante o mês de Julho, a exposição “Quem Fez a República – figuras públicas e anónimas que ousaram implantar a República em Portugal”.

Esta exposição de quinze quadros com documentos e iconografia da época, ilustra os principais acontecimentos que conduziram à Implantação da República em 5 de Outubro de 1910, destacando as figuras públicas e anónimas que deram o seu contributo.

(Uma iniciativa da FAPT em associação com a Fundação Mário Soares)

    quem fez a república  
             
             
             
   

Lançamento da Revista de Cultura «Vialibvs»

Palestras

19 de Junho de 2010
16 horas

No âmbito da Comemoração do Aniversário de Nascimento de Mário Saa, a Fundação Arquivo Paes Teles irá efectuar o lançamento do segundo número da revista de cultura Vialibvs e promover um conjunto de palestras sobre o autor. A sessão decorrerá na sede da Fundação, no Ervedal, no próximo dia 19 de Junho de 2010. Esta iniciativa conta com o apoio da Junta de Freguesia do Ervedal, do Município de Avis e do Centro de Estudos de História e Filosofia da Ciência (CEHFCI) da Universidade de Évora.

Palestras:

Mário Saa e as vias
Prof. Doutor Vasco Mantas (Univ. Coimbra)

Mário Saa e o sítio da Ladeira
Dr.ª Ana Ribeiro (Município de Avis)

As dedicatórias da biblioteca da Fundação Arquivo Paes Teles
Dr.ª Elisabete Pereira (Fund. Paes Teles)

Mário Saa e a junção de duas culturas - ciências e humanidades - num ponto da Europa do século XX: Ervedal (Alentejo-Portugal)
Prof.ª Doutora Maria de Fátima Nunes (Univ. Évora)

     
             
             
             
   

5 ≠ 5 - Exposição colectiva de Pintura

Ana Fialho
Emmanuel Almeida
Manuel Casa Branca
Catherine Henke
Telmo Alcobia

15 de Maio de 2010

A Fundação Arquivo Paes Teles inaugurou no passado dia 15 de Maio a exposição colectiva de pintura "5 diferente de 5".

Com percursos, técnicas e temáticas bastante diferenciadas, Ana Fialho, Emmanuel Almeida, Manuel Casa Branca, Catherine Henke e Telmo Alcobia são os artistas que se juntam neste projecto que inicia a sua apresentação no Ervedal. Esta exposição de arte contemporânea estará patente até dia 19 de Junho de 2010 podendo ser visitada de segunda a sexta feira, das 9 às 12 horas e das 15 às 19 horas.

No dia 21 de Maio, pelas 21 horas, decorrerá uma visita guiada à exposição pelo pintor Manuel Casa Branca.
     
             
             
             
   

Por mim fazia-se ali um museu

Cartoons de Luís Afonso

10 de Novembro a 31 de Dezembro de 2009

Está patente na Fundação Arquivo Paes Teles a exposição itinerante POR MIM FAZIA-SE ALI UM MUSEU. Cartoons de Luís Afonso. Inicialmente apresentada no Museu de Évora, esta selecção de trabalhos do ilustre cartoonista do jornal Público, inicia a sua itinerância nesta instituição do concelho de Avis, onde irão ser apresentados, até 31 de Dezembro, mais de 60 cartoons selecionados pelo humorista e por Joaquim Oliveira Caetano, director do referido museu.

A inauguração desta exposição decorreu no dia 10 de Novembro pelas 18 horas, podendo ser visitada de segunda sexta-feira, das 9h00 às 12h00 e das 15 às 19h00.
     
             
             
             
   

Vamos ao Museu ?

Domingo, dia 25 Outubro de 2009

Museu da Luz (Mourão, Alqueva)

No presente ano a Fundação Arquivo Paes Teles propôs uma visita ao Museu da Luz, no concelho de Mourão.

A ideia da criação deste museu surgiu devido à necessidade de preservação das memórias e da identidade da população da aldeia da Luz. A antiga aldeia foi submersa pela Barragem de Alqueva e por isso foi fundamental preservar objectos e histórias pertencentes às vivências dessa comunidade.

Na visita realizada no passado dia 25 de Outubro foi possível conhecer as exposições «A terra: ocaso de uma relação milenar» e a exposição de fotografia intitulada «Retrato(s) da Aldeia da Luz». A primeira é uma mostra de peças doadas pelos habitantes da antiga aldeia, onde é evocado o universo do meio rural entretanto extinto: a agricultura, a pesca, o pastoreio, o fabrico do pão, do vinho e do mel, assim como os ofícios, com destaque para o abegão, o ferreiro e o fabrico da taipa. A segunda exposição, da autoria de Eurico Lino do Vale, é constituída por 12 fotografias de grande formato que apresentam retratos de anciãos, fotografias do ambiente exterior da nova aldeia e a sua envolvente, bem como do interior das novas habitações.
     
             
             
             
   

Noites no Pátio

Cinema ao ar livre no pátio da Fundação Paes Teles

21 horas Dias 9, 15, 22 e 29 de Julho de 2009

Os filmes escolhidos e apresentados por várias personalidades do concelho de Avis

Durante o mês de Julho de 2009, o pátio de Fundação Arquivo Paes Teles receberá a segunda edição de Noites no Pátio, uma iniciativa com o objectivo de recuperar a tradição mediterrânica de ver cinema ao ar livre e promover a reflexão em torno desta forma de arte.

Nesse sentido voltámos a convidar várias personalidades do concelho de Avis a escolher e apresentar um dos seus filmes favoritos, disponibilizando-se um espaço para reflexão e debate no final da exibição.

9 de Julho
O Pianista de Roman Polanski |
Escolha de Fernandino Lopes (Sociólogo)

15 de Julho
Música no Coração de Robert Wise |
Escolha de Rosalina Rosado (Professora)

22 de Julho
O Clube dos Poetas Mortos de Peter Weir |
Escolha de Nuno Silva (Vereador na C.M. de Avis)

29 de Julho
África Minha de Sydney Pollack |
Escolha de Margarida Neves (Pres. do Cons. Exec. da Escola EB 2,3 Mestre de Avis)

Org.: Fundação Arquivo Paes Teles Apoio: Município de Avis
     
             
             
             
   

Lançamento da revista de cultura «Vialibvs»

20 de Junho de 2009

Numa iniciativa que pretende comemorar o aniversário de nascimento de Mário Saa, a Fundação Arquivo Paes Teles irá organizar na sua sede, no dia 20 de Junho de 2009, pelas 16 horas, o lançamento da Revista de Cultura VIALIBVS. Esta revista pretende privilegiar a publicação de estudos sobre a figura de Mário Saa, do seu percurso intelectual, do património que nos legou, bem como das temáticas por si abordadas. Porque existe nesse sentido uma infinidade de caminhos científicos que podem ser explorados e divulgados, a inscrição de uma ara romana consagrada aos deuses das vias foi a inspiração para dar nome a este projecto.

Vialibvs invoca, assim, os Lares Viales, os deuses de protecção das vias romanas, um vocábulo latino patente numa ara encontrada por Mário Saa no decorrer da sua investigação sobre a Lusitânia.

No número inaugural desta edição, que pretende ter uma periodicidade anual, reúnem-se textos do Professor Doutor Cândido Beirante («A atracção pelo universo de Camões numa perspectiva biografista»), do Dr. João Rui de Sousa («Mário Saa e Fernando Pessoa – sinalizações de um encontro») e da Dr.ª Elisabete Pereira («O epistolário de Mário Saa: cartas de Hipólito da Costa Cabaço»).

Estes artigos constituem uma preciosa amostra do muito que está por desvendar e divulgar sobre esta singular personalidade do século XX português. A Revista de Cultura da Fundação Arquivo Paes Teles, uma edição conjunta desta instituição e das Edições Colibri, tem uma tiragem de 500 exemplares.
     
             
             
             
   

AnimaSénior

"Séniores" do concelho de Avis visitam a Fundação

Janeiro a Maio de 2009

A FAPT associou-se à iniciativa “AnimaSénior”, da responsabilidade do Município de Avis, realizando visitas guiadas às suas instalações, aos seus acervos patrimoniais bem como à exposição Património Imaterial do Ervedal: memórias fotográficas de uma comunidade rural alentejana (1900-1970).

Os participantes, vindos das várias freguesias do concelho – Avis, Aldeia Velha, Benavila, Figueira e Barros, Alcórrego e Valongo – deslocaram-se até à Fundação nos dias 17 e 24 de Março, 7 e 14 de Abril, 12 e 27 de Maio de 2009.
     
             
             
             
   

Património Imaterial do Ervedal Memórias fotográficas de uma comunidade rural alentejana

1900-1970

Inauguração dia 16 de Julho de 2008

Org.: Fundação Arquivo Paes Teles, Universidade de Évora – Projecto Medins Apoio: Município de Avis, Junta de Freguesia do Ervedal

A Fundação Arquivo Paes Teles vai inaugurar no dia 16 de Julho de 2008, às 19 horas, a exposição Património Imaterial do Ervedal – memórias fotográficas de uma comunidade rural alentejana (1900-1970), um projecto conjunto desta instituição e da Universidade de Évora, através do projecto de investigação MEDINS: Identity is Future: The Mediterranean Intangible Space (FEDER-INTERREG III B MEDOCC).

Este projecto europeu tem como objectivo a catalogação, promoção, valorização e divulgação ao nível internacional, do Património Cultural Imaterial dos territórios da zona Medocc, de modo que este seja salvaguardado do risco de extinção, e ao mesmo tempo seja utilizado como recurso para o desenvolvimento local sustentável.

A Fundação Arquivo Paes Teles associou-se a este projecto através de um trabalho de digitalização de fotografias dos álbuns familiares da população do Ervedal e da recolha de testemunhos associados às imagens cedidas, por forma a compreender a história e a individualidade da vila escolhida por Mário Saa para acolher a Fundação Arquivo Paes Teles.

Esse trabalho de recolha do Património Imaterial, resultante da admirável colaboração da população do Ervedal, é agora divulgado através da realização de uma exposição que pretende contribuir para a valorização da identidade, dos conhecimentos e das tradições de uma comunidade rural do Sul de Portugal. As fotografias apresentadas, representativas das vivências ocorridas entre 1900 e 1970, remetem- nos para os ambientes do quotidiano, para os ambientes festivos e para o importante papel desempenhado pelo retratista ambulante numa época em que poucas pessoas possuíam uma máquina fotográfica.

Esta exposição irá estar patente no Ervedal até dia 31 de Dezembro de 2008, estando a programar-se a sua itinerância para o ano seguinte, que deverá começar na Universidade de Évora.
     
             
             
             
   

Lançamento do livro de poesia «Murmurar de Azenhas» da autoria de Susete Varela Mota

29 de Março de 2008

Decorreu no dia 29 de Março de 2008, no auditório da Fundação o lançamento do livro de poesia Murmurar de Azenhas, da autoria de Susete Varela Mota. Esta sessão contou com as intervenções do Presidente do Conselho de Administração da instituição, da Dr.ª Elisabete Pereira, do Sr. Américo Claudino, do Dr. Vitor Ramalho, autor do prefácio, bem como a intervenção da autora que finalizou com a leitura de um dos poemas mais significativos da obra. No final da sessão teve lugar a actuação do Grupo de Cantares do Ervedal logo seguido por um “Porto de Honra”. As receitas da venda da obra reverteram, de acordo com a vontade da autora, a favor da Santa Casa da Misericórdia de Avis.
     
             
             
             
   

Lançamento do livro «XII Objectos do Itinerário de Mário Saa»

8 de Março de 2008

A Fundação Arquivo Paes Teles vai promover a sessão de lançamento do livro XII Objectos do Itinerário de Mário Saa.

Esta obra, que obteve o apoio da Direcção Regional da Cultura, através do Projecto Editorial do Alentejo, pretende valorizar o património desta Fundação e o percurso do seu instituidor através da representação de doze objectos do acervo de Mário Saa. Os objectos seleccionados, constituindo preciosas fontes de informação, são representativos do seu contexto social, da sua educação formal e informal, dos seus interesses e preferências, do seu capital social e cultural e das formas como este intelectual do século XX interveio no espaço público. Este livro integra ainda uma breve nota biográfica sobre Mário Saa e um capítulo sobre a história da Fundação Arquivo Paes Teles, a instituição criada por este poeta e investigador para preservar o seu espólio.

A apresentação desta obra, da autoria da Dr.ª Elisabete Pereira, editada pela Alémtudo , irá ter lugar no dia 8 de Março de 2008, pelas 16.30h, contando com a presença do Dr. José António Cabrita do Nascimento (Director Regional da Cultura do Alentejo), do Professor Doutor Filipe Themudo Barata (Universidade de Évora), e de um representante da Câmara Municipal de Avis. A sessão contará ainda com a actuação do Grupo de Cantares do Ervedal, cuja direcção artística está a cargo de Maria do Amparo.
     
             
             
   
       
   

Vamos ao Museu ?

Museu dos Lanifícios (Covilhã)

14 de Outubro de 2007

A iniciativa "Vamos ao Museu?", na sua 4.ª edição, promoveu no corrente ano uma visita ao Museu de Lanifícios, na Covilhã.

Este museu da Universidade da Beira Interior tem como objectivo reabilitar a memória do trabalho dos lanifícios na cidade da Covilhã, através da reconstituição dos processos de fabrico e tingimento dos tecidos de lã, utilizados nos finais do século XVIII.

Acederam a esta iniciativa cerca de 50 pessoas, maioritariamente do Ervedal, que puderam visitar também, depois do almoço que decorreu no centro comercial Serra Shopping, a belíssima aldeia histórica de Monsanto.
     
             
             
             
   

I Feira do Livro do Alentejo | Ervedal

31 de Agosto, 1 e 2 de Setembro de 2007

A Fundação Arquivo Paes Teles, em parceria com a Câmara Municipal de Avis e a colaboração da Universidade de Évora, organizou nos dias 31 de Agosto, 1 e 2 de Setembro, a primeira feira do livro sobre o Alentejo. Esta feira temática incidiu, deste modo, sobre obras e autores alentejanos, fomentando, paralelamente, encontros com escritores, workshops, exposições, espectáculos e debates com o objectivo de promover o livro e a leitura sobre o Alentejo.

Contámos com as publicações de 30 municípios, de 22 editoras, de 22 instituições, associações, fundações, universidades e institutos, e de 18 jornais e 3 revistas alentejanas. Estiveram representados 780 títulos, de um total de 3217 obras sobre o Alentejo ou de autores alentejanos disponíveis para venda. Relativamente às publicações periódicas alentejanas, foram enviados para distribuição gratuita centenas de exemplares representativos de 21 jornais e revistas do Alentejo.

Foram adquiridos durante os três dias da feira cerca de 300 obras, o que consideramos muito positivo face ao actual contexto nacional e ao facto de este evento ter sido organizado numa freguesia do interior do Alentejo com cerca de 600 habitantes.

O Conselho de Administração da Fundação e a Comissão Organizadora agradecem a todos autores, artistas, câmaras municipais, associações, fundações, jornais, revistas, colaboradores e a todos os que se emprenharam no sucesso desta iniciativa.
     
             
             
             
   

Comemoração do Aniversário de Nascimento de Mário Saa

18 Junho 2007

Em Junho, mês em que se comemoram 114 anos passados sobre o nascimento de Mário Saa, a Fundação Arquivo Paes Teles celebra o seu aniversário com a apresentação de três iniciativas que visam a valorização do seu itinerário intelectual e do seu legado.

A apresentação dos referidos projectos decorrerá na sala de recepção da Fundação no dia 18 de Junho, a partir das 18 horas.

Os ecos dos meus sentidos 1893-1971
Exposição biobibliográfica sobre Mário Saa.

www.paesteles.com
Apresentação/lançamento da página Web da Fundação.

Réplicas de Marco Miliário e Ara Votiva
Apresentação e venda de réplicas de objectos da Colecção de Materiais Arqueológicos da Fundação

   

 
             
             
             
   

Lançamento do livro «Ervedal: Alto Alentejo»

25 de Fevereiro de 2007

No dia 25 de Fevereiro decorreu nesta Fundação o lançamento do livro Ervedal: Alto Alentejo . Esta obra da autoria de Varela Pécurto confirma a sensibilidade e o talento de um Ervedalense reconhecido e premiado a nível nacional e internacional, e constitui, essencialmente, uma homenagem à sua terra natal.

Eduardo Francisco Varela Pécurto, distinto fotógrafo radicado em Coimbra, preserva assim, com o extremado trabalho fotográfico desta edição, a memória e a história da sua terra natal.
     
             
             
             
   

Exposição Olhar Além Tejo

De 4 a 29 de Dezembro de 2006

Olhar Além Tejo é o título de uma exposição colectiva de fotografia que esteve patente na Fundação Arquivo Paes Teles, de 04 a 29 de Dezembro de 2006.

Esta mostra dedicada ao Alentejo é uma co- - produção da Contemporaneous - Associação para a promoção da arte contemporânea, da Delegação Regional da Cultura do Alentejo e da 7G-7Graus, e o resultado de um concurso fotográfico promovido pelo portal de fotografia Olhares.com.
     
             
             
   

       
   

Vamos ao Museu ?

Visita ao Museu de Mértola
5 de Novembro de 2006

A iniciativa "Vamos ao Museu?", com o objectivo de fomentar o enriquecimento cultural e a valorização da identidade da comunidade, promoveu, no passado dia 5 de Novembro, uma visita ao Museu de Mértola.

Esta vila do Baixo Alentejo é por si só um "museu ao ar livre", e a riqueza e diversidade dos vários núcleos museológicos existentes permitem conhecer a história da povoação e dos povos que por lá deixaram marcas da sua cultura.

Para além disso, é um exemplo de como uma vila do interior alentejano pode promover várias actividades tradicionais e desenvolver os seus recursos culturais na perspectiva do desenvolvimento local e regional.
     
             
             
   

       
   

Noites no Pátio
Ciclo de cinema

Julho de 2006

Como forma de recuperar a tradição mediterrânica de assistir a sessões de cinema ao ar livre, a Fundação organizou um ciclo de cinema no pátio das suas instalações durante o mês de Julho de 2006.

Tendo como objectivos uma maior divulgação e exploração das potencialidades desta forma de arte, bem como a apresentação de filmes onde estivessem presentes várias temáticas, tendências e estéticas, optámos por convidar algumas personalidades do concelho a escolher e apresentar um dos seus filmes favoritos, disponibilizando- - se, no final da exibição, espaço para reflexão e debate.

Foi possível assim assistir, nas agradáveis noites do mês de Julho, a 4 filmes de referência para quatro personalidades do concelho de Avis:

6 de Julho
A Vida é Bela de Roberto Benigni |
Escolha de Rita Velez Grilo

13 de Julho
Cinco Dias Cinco Noites de José Fonseca e Costa |
Escolha de Manuel Maria Libério Coelho

20 de Julho
O Gosto dos Outros de Agnès Jaoui |
Escolha de José Grilo

29 de Julho
Cinema Paraíso de Giuseppe Tornatore|
Escolha de Rute Reimão
     
             
             
   

       
   

Lançamento do livro Mário Saa: «poesia e alguma prosa»

18 de Junho de 2006

No dia 18 de Junho de 2006, comemorando o aniversário de nascimento do instituidor desta Fundação, decorreu o lançamento da obra Mário Saa: poesia e alguma prosa, da autoria do Dr. João Rui de Sousa e recentemente editada pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda.

Compilando toda a sua produção poética e também alguns textos em prosa que se encontravam dispersos em variadíssimos periódicos ou no espólio documental do instituidor da FAPT, esta obra reveste-se de primordial importância por permitir o conhecimento integrante da obra deste poeta do modernismo português.
Esta sessão de lançamento contou com a presença do autor - ensaísta, crítico de poesia e poeta, cuja obra foi distinguida e premiada pelo Centro Português da Associação Internacional de Críticos Literários e pelo PEN Club Português, tendo sido aberta pelo Presidente do Conselho de Administração, seguido da leitura de poemas de Mário Saa pelo Grupo de Teatro "A Fantasia" de Ervedal e pela intervenção da Dr.ª Elisabete Pereira, que efectuou a apresentação da obra e do seu autor.

Depois da intervenção do Dr. João Rui de Sousa, teve lugar uma actuação do Grupo de Cantares do Ervedal e uma muito concorrida sessão de autógrafos.

De referir ainda que a obra irá continuar à venda na Fundação com um desconto de 10% sobre o preço de custo nas livrarias.
     
             
             
   

       
   

12 Meses, XII Objectos

de Janeiro a Dezembro de 2006

Durante 2006 esta exposição divulgou em cada mês do ano um objecto do espólio da Fundação.

Disponível ao público na sala de recepção, foram expostos 12 objectos que ilustraram a acção cívica de Mário Saa em prol da salvaguarda do património cultural, as suas principais investigações e publicações, o seu capital social, bem como o potencial do espólio bibliográfico e documental que legou ao povo do Ervedal e ao público em geral. Esta iniciativa museológica procurou, assim, dar destaque a um conjunto de objectos que expressam a relevância do património desta instituição e elucidam sobre o papel de Mário Saa enquanto intelectual do século XX.
     
             
             
   

   

 

 
   

Lançamento do livro de poesia:«Sentires» de Maria Albertina Dordio

8 de Dezembro de 2005

A Fundação promoveu, no dia 8 de Dezembro de 2005, o lançamento do livro de poesia Sentires , da autoria da Profª. Maria Albertina Dordio. Esta obra sobre o Ervedal, foi apresentada pelo Prof. Ribeirinho Leal e seguidamente pela autora, que procedeu à leitura dos poemas mais significativos. No final da sessão teve lugar a actuação do Grupo de Cantares do Ervedal logo seguido por um "Porto de Honra". As receitas da venda da obra reverteram, de acordo com a vontade da autora, a favor da Escola do 1.º Ciclo desta localidade.
     
             
             
             
   

Vamos ao Museu?

Museu Monográfico e ruínas da cidade romana de Ammaia

30 de Outubro de 2005

Na segunda edição desta iniciativa, que visa o enriquecimento cultural e permite à comunidade local entender a importância da valorização do legado de Mário Saa, organizámos uma visita ao museu da cidade romana da Ammaia, em São Salvador da Aramenha - Marvão. Os 54 participantes visitaram a exposição do Museu Monográfico, essencialmente constituída pelo espólio recolhido nos trabalhos arqueológicos, que permite conhecer uma parte do quotidiano, das actividades económicas e da arquitectura ammaiense. Infelizmente as condições climatéricas não permitiram a visita às ruínas da cidade romana.
     
             
             
         

 

 
   

Viagem ao tempo da escrita de Mário Saa

Foi com objectivos lúdicos mas, também pedagógicos que criámos a "Viagem ao tempo da escrita de Mário Saa".

Esta actividade, em funcionamento desde o dia 18 de Junho de 2005, consiste na utilização dos utensílios fundamentais da escrita do tempo de Mário Saa - a caneta de aparo, o tinteiro e o mata-borrão - para o registo de uma mensagem no livro de visitas da instituição.

Inaugurado durante a sessão de reabertura da Fundação, contém já um considerável número de mensagens e de "viagens ao tempo da escrita", possibilitando aos mais novos tomar contar contacto com uma realidade passada e aos mais velhos relembrar outros tempos, anteriores à comercialização em massa das esferográficas e depois das máquinas de escrever e dos computadores.
     
             
             
             
   

Grupo de Cantares do Ervedal

O Grupo de Cantares do Ervedal surgiu, em Abril de 2005, na sequência de outro projecto desta instituição, uma Recolha de Património Oral realizada em 2004.

Esta recolha decorreu com a colaboração de jovens do Ervedal que participaram no Programa de Ocupação de Tempos Livres do Instituto Português da Juventude. Vera Guedes, Manuela Estevinha e Andreia Ferreira, as jovens participantes no projecto, efectuaram entrevistas e registaram as informações recolhidas.

Destas recolhas constavam, entre lendas, anedotas, mezinhas e lengalengas, algumas canções populares muito conhecidas na freguesia.

A Fundação quis valorizar este património musical com a promoção de um grupo de cantares. O pretexto para a formação deste grupo foi a animação da sessão de reabertura da FAPT que pretendíamos promover depois de efectuadas algumas obras de beneficiação das instalações.

O Grupo de Cantares do Ervedal, que decorreu da intenção de valorizar a identidade e a memória preservando alguns elementos da cultura popular local, e também promover o convívio e a ocupação dos tempos livres, tem como directora artística, Maria do Amparo, e as exímias produções musicais de Samuel.
     
             
             
             
   

Sessão comemorativa do aniversário de nascimento de Mário Saa

18 de Junho de 2005

No dia 18 de Junho de 2005 teve lugar a reabertura da Fundação numa sessão comemorativa do aniversário de nascimento de Mário Saa. Depois da realização de algumas obras de requalificação do edifício procurámos, nesta sessão comemorativa, homenagear o instituidor da FAPT divulgando junto da população o trabalho que tem vindo a ser realizado desde a celebração do Protocolo de Colaboração, o objectivo das obras e a apresentação da nova imagem gráfica da instituição. Contámos, por isso, com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Avis, Dr. Manuel Maria Libério Coelho, do Prof. Doutor Jorge de Oliveira, em representação da Universidade de Évora e de Aníbal Fernandes, representante da empresa de design e comunicação Alémtudo . No final da sessão teve lugar a primeira actuação do Grupo de Cantares do Ervedal, um grupo criado a pensar no envolvimento e ligação da comunidade com os projectos e as etapas fundamentais da vida da Fundação bem como com a valorização do trabalho de Recolha do Património Oral realizado no ano de 2004.
     
             
             
             
   

Vamos ao Museu 2004

Museu Nacional de Arqueologia

14 de Outubro de 2004

Inaugurando a iniciativa "Vamos ao Museu?", no dia 10 de Outubro de 2004 a Fundação Arquivo Paes Teles organizou uma visita ao Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa .

O objectivo era conhecer o contributo do Ervedal, e do concelho de Avis, na exposição Religiões da Lusitânia , que incluía uma ara consagrada a Fontanus encontrada no Ervedal e doada ao Museu Nacional de Arqueologia no inicio do século XX.
     
             
             
             
   

Protocolo de Colaboração entre
a Universidade de Évora, a Fundação
e a Câmara Municipal de Avis

29 de Abril de 2001

Considerando a necessidade de promover a defesa, o estudo, a divulgação e valorização do património à guarda da Fundação Arquivo Paes Teles, foi celebrado um Protocolo de Colaboração entre a Universidade de Évora, a Fundação e a Câmara Municipal de Avis.

Estabelecendo bases de colaboração entre as três instituições, esta sessão decorreu no Salão Nobre da Câmara Municipal de Avis no dia 29 de Abril de 2001.